domingo, abril 30, 2006

Sobre "Delatores de todas as idades".

Concordar com a questão de não dividir a categoria é posição politicamente correta, apesar de eu considerar essa expressão “politicamente correto” já maculada. Entre idéias e prática existe o vácuo. Também há a dissensão e o consenso. Mesmo que em uma assembléia a maioria opte por determinada forma de luta, nas escolas há nova votação sobre o mesmo assunto, e tudo pode ser revertido. Uma assembléia é soberana em termos. Na prática inexiste união absoluta. Ela é relativa e engloba apenas alguns pontos. Lendo a relação de pessoas que farão parte da equipe de inclusão (há também outras equipes, evitemos o esquecimento) notamos que realmente há muitos profissionais com pouco tempo de lotação na rede que optaram por algo que acreditam poder fazer melhor, ou não querem estar na sala de aula. Da mesma maneira há profissionais que preferem ficar em regionais, eternamente em sindicatos (é o caso do Hilário, entre outros), ou abarcam a função de gestores (Toninho Lambertuci, Newtinho, Bel - ex-sindicalistas) só para exemplificar. Deixam para trás o cargo primeiro enquanto os partidos que sustentarem estiverem no poder. Nada podemos fazer quanto a isso. É uma opção pessoal.
Acredito que as pessoas com pouco tempo de lotação na rede municipal de BH e em outras redes, buscam o trabalho que consideram mais interessante para elas. Todos têm o direito à busca de outros caminhos, sejam antigos ou novos mestres. O problema é outro. Não estando em contato direto com alunos, escola, e outros professores no dia-a-dia as pessoas poderão pensar que a razão está sempre com a administração (SEM GENERALIZAÇÕES) e assim, passam a trair os colegas. Seria muita pretensão afirmar que isso acontece com grande freqüência.
O interessante seria que a categoria começasse a escolher as equipes que estão sendo formadas há algum tempo, já que estas deverão estar em constante contato com a comunidade escolar. Talvez fosse mais democrático, já que se trata de “escolha”. Apenas a primeira etapa ficaria a cargo da SMED, pois a questão do currículo é condição sine qua non para o avanço desta ou daquela equipe.
Sobre o texto das baratas, por sinal espetacular (deveria ser enviado para um jornal), mas creio que realmente há um problema na parte questionada, e destacada: “... um@ servidor@ com décadas de lotação, daqueles/as que vivem tecendo e tomando conta da vida alheia,...” – Professores/as antig@s, certo?
“...seja um@ politiqueir@ de plantão, que vive intrigando e procurando se dar bem.” Pode ser ambos ou nenhum concursado.
“ Pode ser também um@ chefe que vive de sabotar a felicidade e a energia alheia.” – Chefe não precisa ser, necessariamente, novo ou velho de casa.
Portanto, na minha opinião, o que "incomodou"? A primeira frase. Parece que quem tem “décadas de lotação” sobrevive de fofocas. A frase poderia englobar servidores com poucos anos de lotação.
É simples. Nada que possa dividir a categoria. Todos sabemos quem realmente a divide, e de que forma. Afinal, eles/elas não são abstratos, intocáveis .
Não vamos nos apoquentar com essas inevitáveis metamorfoses kafkanianas.

sexta-feira, abril 28, 2006

DELATORES DE TODAS AS IDADES

SE O ARTIGO CITADO FOR O REEDITADO ABAIXO, LEIA E VEJA SE TEM O ALEGADO CONTEUDO. O QUE ESTA DITO NAO E QUE OS MAIS VELHOS SAO DELATORES, MAS QUE EXISTEM DELATORES ENTRE NOS. VEJAM

"Em todo setor da vida pública ou privada sempre existe uma aranha bunducha. Seja um@ servidor@ com décadas de lotação, daquele/as que vivem tecendo e tomando conta da vida alheia, seja um@ politiqueir@ de plantão, que vive intrigando e procurando se dar bem. Pode ser também um@ chefe que vive de sabotar a felicidade e a energia alheia.

Olhe ao redor. Nesse exato momento el@ te observa. "

NAO TENTEM NOS DIVIDIR COM CALUNIAS E BOATOS

quarta-feira, abril 26, 2006

Novo ou velho de casa. Tudo parecido.

Outro dia li em um artigo que profª antiga só sabe entregar e fazer fofoca com a Secretaria de Educação. Umas paradas boas para ver se isso é verdade são as equipes disso e daquilo. Fiquem bem atentos. Veja os BMS. A maioria é de professor novo de casa.Tem apenas umas quatro de 20 anos ou mais e umas três de um pouco mais de dez anos.
Diário Oficial do Município - Belo Horizonte Ano XII - Nº: 2.592 - 26/04/2006
Poder Executivo
Secretaria Municipal de Educação
Comunicado

COMUNICADO

A Secretaria Municipal de Educação - SMED divulga o resultado final classificatório do processo de seleção para a Equipe de Apoio à Inclusão:

1º - Mary Margareth Marinho Resende - BM: 43.890-5
2º - Elaine de Cássia Martinez Resende - BM: 33.980-X
3º - Cláudio Alexander Deiran Rodrigues - BM: 73.542-X
4º - Antônia Umbelina Corrêa Lima - BM: 33.959-1
5º - Márcia Cristina Leandro - BM: 49.657-3
6º - Renata Silva Bergo - BM: 79.612-7
7º - Giovanna Ferreira Xavier - BM: 74.422-4
8º - Helena Márcia Lacerda - BM: 26.841-4
9º - Rommel Winston de Carvalho - BM: 74.237-X
10º - Ângela Aparecida de Souza Doro Pereira - BM: 70.180-0
11º - Daniela Goretti Gonçalves Coelho - BM: 77.284-8
12º - Vânia Maria de Campos Soares - BM: 42.248-0
13º - Fernanda Pedrosa de Paula - BM: 74.554-9
14º - Sônia Onofri de Oliveira - BM: 33.169-8
15º - Josilaine de Paula Cruz da Silva - BM: 79.142-7
16º - Cláudia Maria José Peixoto Machado - BM: 74.490-9
17º - Luciana Chaves de Aguiar - BM: 77.069-1
18º - Andréa Jaqueline Joviano dos Santos - BM:70.088-X
Belo Horizonte, 19 de abril de 2006

Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva
Secretária Municipal de Educação
rofessor novo na prefeitura. Apenas uma ou outra mais jovem.

sexta-feira, abril 21, 2006

Brasil não é autosuficiente em petróleo (em educação, então!)

Entre aspas - Jornal O Tempo

Entre aspas

Em meados do século XIX, Henry Thoreau foi expulso da escola onde trabalhava. Motivo? Segundo o diretor, o mestre deveria bater nas crianças para que elas aprendessem. Thoreau defendia a tese da alegria no aprendizado – a abolição da violência seria de grande auxílio ao mundo do conhecimento.A visão tacanha da agressão vem sendo paulatinamente abolida. Hoje professores utilizam a metodologia do filósofo, às vezes sem cogitar que há quase dois séculos alguém já pensava nisso. Nem sabemos se são alvíssaras ou simplesmente mudanças lógicas.

Deixemos o caso para aqueles que tratam do “eterno retorno” não no campo do ser, coisa-em-si, mas das idéias.

Thoreau trabalhou como antropólogo, escritor e artesão, após a insatisfatória incursão na pedagogia por causa de discordâncias filosóficas e metodológicas. Rebelde com causa, intelectual anarquista, o pensador se entusiasmava quando o assunto era política.

Sobre governos, não se cansava de dizer: “O melhor governo é o que menos governa”. No texto “A Desobediência Civil” – a apresentação do autor do livro “Desobedecendo”, no Brasil, foi feita por Fernando Gabeira –, é taxativo: “Espero nunca trocar meus direitos por um prato de sopa”.

Muitos de seus escritos, principalmente sobre a consciência individual e coletiva, influenciaram Gandhi e Tolstoi.
Em recente entrevista, o ministro Patrus Ananias toca na questão da consciência, tema amplamente destrinçado pelo pensador.Ele diz que, devido ao avanço(?) ético no campo governamental, as pessoas exercerão seus direitos “não trocando mais o seu voto por um prato de comida”.

Patrus se esqueceu de citar Thoreau. Devido à similaridade da frase, do pensamento, com os textos do filósofo/artesão, podemos pensar que já não se trata de coincidência o descambar das palavras de partícipes do governo para as idéias de alguns anarquistas, depois de tantas tentativas para enterrá-las.

No entanto, há um choque não previsto na entrevista, que obnubila o pensamento primeiro: o glamour da frase, advinda dos europeus, diga-se de passagem, repetida, sem aspas, pelo ministro: Ninguém pode se considerar acima da lei.

De modo algum a frase supracitada precede outro pensamento de Thoreau: “A verdade de um jurista não é a Verdade, mas a consistência, ou uma conveniência consistente”. Afinal, qual é a ideologia que o ministro quer repassar? Que saibamos, petistas não pertencem às vertentes anarquistas.

Será que estão reinventando um método filosófico eclético para agradar gregos e troianos, na tentativa de explicar programas de cunho indubitavelmente assistencialista? Como entender a ética do ponto de vista deles? Gostaríamos de saber.

MODESTA TRINDADE THEODORO
Professora Aposentada

sexta-feira, abril 14, 2006

ASSEMBLÉIA DE FILIADOS Sind-REDE/BH

ASSEMBLÉIA DE FILIADOS
pauta:
ESTATUTO DO Sind-REDE/BH

TERÇA - 18 DE ABRIL 18h30min

TEATRO CASA NOVA
AV. AFONSO PENA, 1500 18º andar

quinta-feira, abril 13, 2006

De luto pelos professores, mas em favor da democracia (Clica Aqui para ler!)

quarta-feira, abril 12, 2006

ATENÇÃO: MUDANÇA DO USUÁRIO E SENHA : 1 ano de DIÁRIO!!!

Em razão da advertência anônima publicada no nosso diariodegreve.blogspot.com (veja abaixo) e de termos feito 1 ano de blog (em 02/04), resolvi mudar o USUÁRIO e SENHA de publicação (abertos) para: blogdoprofessor.

( Alguém já pensou que facilmente todo o seu blog pode ser deletado?)

O objetivo é não permitir alguém, mal intencionado, consiga apagar o que já foi publicado no blog com o USUÁRIO: nosprofessores. Essa SENHA: foi mudada. E manter a facilidade para aqueles que já tinham o costume de publicar aqui.

Aquele que desejar se precaver da possibilidade de que seu artigo seja apagado ou modificado no futuro, poderá me enviar os artigos para que eu publique com o USUÁRIO: nosprofessores.

  • ENVIE-ME AQUI PUBLIQUE SEGURO


  • Eu convidarei a todos, que me enviarem os textos ou pedirem, a se cadastrarem nos blogs, a fim de que possam publicar com USUÁRIO: e SENHA: "próprios".

    Além disso, estou ampliando a base de leitores e colaboradores, cadastrando os e-emails dos colegas que estiveram no último congresso da Rede PBH entre outros.

    PARABÉNS PELO NOSSO PRIMEIRO ANO!!!!

    terça-feira, abril 11, 2006

    Nosso grupo discutirá o Estatuto do novo sindicato (saiba mais clicando aqui!)

    segunda-feira, abril 10, 2006

     Alguém já pensou que facilmente todo o seu blog pode ser deletado?

    quinta-feira, abril 06, 2006

    Advérbios da Crise

    "Verdades da crise"
    Ninguém mente, todo mundo fala a verdade aberta-mente: Palocci, veemente-mente; Buratti, isolada-mente; Jeany Mary, sexual-mente; Bob Jeff, artística-mente; Valério, descarada-mente; Delúbio, leviana-mente; Silvinho, compulsiva-mente; Duda Mendonça, criativa-mente; Genuíno, descuecada-mente; Simone Vasconcelos, simulada-mente; Zé Dirceu, mafiosa-mente; Fernanda Karina, cândida-mente; João Paulo Cunha, democrática-mente; José Mentor, impune-mente; Luizinho, professoral-mente; Sandro Mabel, abiscoitada-mente; Bispo Rodrigues, religiosa-mente; Jacinto Lamas, risonha-mente; Edson Palmieri, ameaçada-mente; José Janene, escandalosa-mente; Pedro Correia, obesa-mente; Severino Cavalcante, esperta-mente; Valdemar Costa, marital-mente; Sarney, intelectual-mente; Serra, oportuna-mente; Jorge Bornhausen, disfarçada-mente; ACM, malandra-mente; Gushiken, pensativa-mente; FHC, filosófica-mente; Tarso Genro, displicente-mente; Lula da Silva, completa-mente, inocente-mente, impune- mente e triste-mente".
    (Por Abílio Neto, in Migalhas de hoje )

    quarta-feira, abril 05, 2006

    Vandalismo - Jornal Hoje em Dia

    A Escola Estadual Cândido Portinari, no Bairro Salgado Filho, foi arrombada quatro vezes em uma semana, a última no domingo, dia 2 de abril. O prejuízo: levaram o fax, um scaner, um telefone sem fio e muitos fardos de alimentos. A PMMG compareceu e lavrou ocorrência. Mais uma. A escola não fica dentro de área de risco e não faz fronteira com nenhuma favela como muitos poderiam supor. Perto da escola tem um templo católico e uma repartição pública federal, o Tribunal de Contas da União. Na escola nenhum vigia, segurança ou coisa que o valha. Na entidade federal citada, que fica defronte a um dos portões da escola, os vigilantes ajudam a olhar o colégio, como podem, de forma limitada. Camaradagem própria do povo brasileiro. A pergunta que fica: A quem cabe a solução dos graves problemas da educação mineira?
    Prof. Geraldinho de Paula Corrêa Belo Horizonte