domingo, junho 04, 2006

Trechos do artigo de um colunista da Folha de São paulo - Dia 4/6

...os principais problemas do Brasil de hoje.
1 - No período de 1996 a 2005, a economia mundial cresceu 3,8% ao ano; o Brasil cresceu 2,2%.
2 - Nesse ritmo, o mundo dobrará a renda per capita em 30 anos; o Brasil levará cem anos.
3 - Entre 1995 e 2004, os países emergentes investiram cerca de 30% do PIB em atividades produtivas; o Brasil investiu 19%.
4 - O investimento público, que estava em 4% do PIB em 1970, já irrisório!, caiu para 0,5% em 2005.
5 - Nesse período, a carga tributária quase dobrou, chegando perto de 40% do PIB.
6 - Para crescer 3,5% ao ano, os investimentos em energia elétrica, petróleo, gás, telecomunicações e transporte teriam de ser de, no mínimo, US$ 27 bilhões por ano, enquanto, na realidade, não passam de US$ 14 bilhões.
7 - Dentre os 127 países estudados pelo "Program for International Student Assessement" (Pisa), o desempenho dos alunos brasileiros está em último lugar em matemática e penúltimo em ciências.
8 - Em pleno século 21, temos 16 milhões de analfabetos e, entre os que sabem ler, mais de 50% não entendem o que lêem.
Vários desses dados fazem parte de um artigo publicado na "Revista Indústria Brasileira" em abril de 2006, cujo título já diz tudo: "Sem crescer, não há saída". (<--- coloquei o link para o artigo em PDF aqui! Woodson)
...

1 Comments:

Blogger Blogdoprofessor said...

Pensar e votar - Folha de São Paulo -6/6/2006
"Antônio Ermírio de Moraes alinhou, em seu artigo "Pense e vote" (domingo), os oito principais problemas do Brasil. Seria bom tomar conhecimento. Todos os itens são importantes, mas dois deles chamam a atenção, pois há muito temos ouvido falar e nada de concreto é feito pela mudança: o desempenho dos estudantes brasileiros, que é também o desempenho da sociedade. Somos último lugar em matemática e penúltimo em ciências e temos 16 milhões de analfabetos. Entre os que sabem ler, mais de 50% não entendem o que lêem. Avalio que, no poder, as sanguessugas de ontem são também as de hoje, e quando não se perpetuam na situação, perpetuam-se na oposição. Pensar muito, como diz o colunista, pode resolver, em parte! Faltou arrolar um nono problema: a tomada de atitude, a ação. Em que lugar estamos? Ou ainda não foi feita uma pesquisa a respeito?"
MODESTA TRINDADE THEODORO (Belo Horizonte, MG)

6:39 AM  

Postar um comentário

<< Home