domingo, junho 18, 2006

Mexeu com minha companheira, meuxeu comigo! Pela liberdade de organização sindical

No último dia 03 de junho a corregedoria puniu 60 professoras da educaçao infantil (no cargo de educadoras) que fizeram greve no mês de maio do ano passado. Algumas dessas trabalhadoras sofreram suspensão de até 8 dias de trabalho substituída por multa de 50% da remuneração nesse período.

Essa sentença foi aplicada pelos corregedores a pedido da secretária Maria do Pilar. Essa atitude revela seu autoritarismo. A administração dessa prefeitura sequer respeita o direito de greve dos trabalhadores e usa mecanismos aplicados somente no período da ditadura militar.

Esses processos foram um ataque a toda nossa categoria. Não podemos deixar nossas companheiras serem punidas e perseguidas só para servir de consolo a essa prefeitura.

Com essa medida a PBH tenta intimidar parte da categoria que está em estágio probatório e minar todas as nossas tentativas de organização sindical. Essa Secretária é o verdadeiro bicho papão da educação infantil.Temos que reagir o mais rápido possível, temos que ter uma postura de ataque tão forte quanto esse golpe que nos foi aplicado.

Vamos lá, companheiros!

10 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Logicamente tem que haver uma repreensão, para que depois haja suspensão. A repreensão feita anteriormente foi pelo mesmo motivo? Caso a resposta seja afirmativa o caso fica mais sério, pois poderá haver um próximo passo em igual direção. Quanto a "bicho papão", isso é coisa de criança. É bruxona mesmo! E das feias!

9:13 PM  
Anonymous Anônimo said...

Um servidor que entrou recentemente na PBH foi convidado para trabalhar em Brasília, junto ao presidente. E o prefeito decretou. O fato é estranho, porque ele não passou pelo Estágio Probatório para adquirir tal posto. Por que, em razão de greve algumas professoras deveriam ser repreendidas e outras arcarem com suspensões? Não seria um caso a ser verificado? Está no Diário do Município.

8:25 AM  
Blogger Blogdoprofessor said...

O servidor citado acima, infelizmente, não agiu na ilegalidade.O cidadão entrou recentemente na PBH e já está trabalhando no Palácio do Planalto, a pedido do Governo Federal. Ele pode, por Lei, como cargo comissionado ou de confiança. Outros casos não são permitidos, porém na PBH existem (aos montes). A Lei é terrível. Mais terrível é criar um anexo(de boca) a ela, sem consultar ninguém, e desfalcar escolas, a rodo.
Modesta

9:30 PM  
Anonymous Anônimo said...

Bote o nome do sujeito a público.

12:57 PM  
Anonymous Anônimo said...

Wagner Caetano Alves de Oliveira, BM 79.902-

3:33 PM  
Anonymous Anônimo said...

Se não me engano, há muito o servidor presta serviços à PBH, desde a época de Patrus. Foi até administrador de regional.Realmente, entrou recentemente na PBH (em termos). Está lá, petisticamente há anos. A menos que erraram no BM ou tenha outro. Não nos apoquentemos, pelo menos não vai haver ônus para o órgão de origem.

3:44 PM  
Anonymous Anônimo said...

Wagner foi administrador Regional da CS, cargo de confiança de patrus por um bom tempo.

2:16 PM  
Blogger Blogdoprofessor said...

ACHEI!!! 15 de maio de 2006/DOM

NOMEAÇÕES

O Prefeito de Belo Horizonte nomeia para os cargos de FISCAL MUNICIPAL DE OBRAS I, FISCAL MUNICIPAL DE POSTURAS I e FISCAL MUNICIPAL DE CONTROLE AMBIENTAL I nos termos do art. 11, inciso I, da Lei n.º 7.169 de 30/08/96, em virtude de aprovação em concurso público, homologado em 30/06/00, os seguintes candidatos:

FISCAL MUNICIPAL DE POSTURAS I
...
81º " Wagner Caetano Alves De Oliveira
Belo Horizonte, 15 de maio de 2006
...
Fernando Damata Pimentel
Prefeito de Belo Horizonte
Mauro Santos Ferreira
Secretário Municipal de
Administração e Recursos Humanos

9:26 PM  
Blogger Blogdoprofessor said...

E menos de um mês depois de ser nomeado em concurso...ter, enfim, se tornado servidor...Brasília!!! Que novela! DOM -10/06/2006

ATO DO PREFEITO

O Prefeito de Belo Horizonte, no uso de suas atribuições e considerando os relevantes serviços prestados pelo servidor abaixo mencionado ao Município de Belo Horizonte, no cargo de Administrador Regional, nos períodos de 27/01/1993 a 31/12/1996 e de 03/03/1998 a 12/01/2001, considerando a solicitação da Presidência da República, por meio dos Ministros de Estado Dilma Rousseff e Luiz Soares Dulci, coloca o servidor Wagner Caetano Alves de Oliveira, BM 79.902-9, à disposição da Secretaria-Geral da Presidência da República, para ocupar o cargo de Secretário da Secretaria Nacional de Estudos e Pesquisas Político-Institucionais daquele órgão, sem ônus para o órgão de origem, nos termos do inciso I, do art. 169 da Lei nº 7.169/96, a partir de 09/06/2006 até 31/12/2006, observada a obrigatoriedade do repasse mensal das contribuições previdenciárias devidas ao Fundo Previdenciário da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

9:38 PM  
Blogger Blogdoprofessor said...

Não estou entendendo. Aí em cima, está escrito que o concurso foi homologado em 2000. Será que há algum erro? No art.15 da mesma Lei que foi citada diz que o prazo de validade do concurso público será de 2(dois) anos, podendo ser prorrogado uma vez por igual período. Então, ou a data está errada, ou o edital falava outra coisa, ou os servidores foram convocados indevidamente. O que que é, afinal?

8:09 AM  

Postar um comentário

<< Home