quinta-feira, setembro 21, 2006

Dossiê derruba companheiros (do PT )

Companheiros (do PT) que caíram até a noite do dia 20/9, após a presentação do dossiê:
1 . Freud Godoy: assessor especial da Presidência da República;
2 . Ricardo Berzoini:Presidente do PT , coordenador nacional da campanha do presidente;
3 . Oswaldo Bargas: ex-secretário do Ministério do Trabalho (trabalhou até 3 de agosto);
4 . Expedito Afonso Veloso: diretor de Gestão e Risco do Banco do Brasil;
5 . Hamilton Lacerda: chefe da campanha de Mercadante ;
6 . Jorge Lorenzetti: analista de risco e mídia da campanha do presidente;
7 . Valdebran Padilha da Silva: ex-tesoureiro de campanhas do PT em Cuiabá;
8 . Gedimar Pereira Passos: contratado pela executiva nacional do PT para negociar a
compra do dossiê; advogado e ex-policial federal.

O prefeito de BH foi convidado para substituir Berzoini(coordenador). Ele recusou. Assim, Marco Aurélio Garcia(assessor especial da presidência) foi empossado.

5 Comments:

Blogger Blogdoprofessor said...

Se você eleger esse homem, todos eles voltarão acompanhados da comitiva que caiu anteriormente.

8:18 AM  
Blogger Blogdoprofessor said...

Dossiê
Uma ONG recebeu R$18,5 milhões. Faz sentido? Organização não governamental receber “repasses” do governo? É a terceirização da gatunagem para enrolar o TCU! Só neste país...

4:03 PM  
Anonymous Anônimo said...

Dossiê
O candidato Lula pergunta a quem interessava melar o processo eleitoral, tendo em vista que “eu estou a dez dias de uma eleição e a minha situação está altamente favorável”.

Lula de fato está com sua reeleição garantida, mas o objetivo do dossiê era tentar, numa jogada de desespero, levantar a candidatura de Mercadante ao governo paulista, que está perdida na mesma proporção que a de Alckmin para a Presidência de República.

Só que a ação, que seria restrita a São Paulo, ao ser descoberta se expandiu para todo o país e provavelmente só não alterará a disputa presidencial em virtude da indiferença popular. A população está cansada de tantos casos de corrupção sem punição.

Habib Saguiah Neto
Marataízes (ES)

4:04 PM  
Anonymous Anônimo said...

Dossiê - Jornal O Tempo - 23/9/2006

A consumação do ato de separação do presidente e do partido, tratada por parte da imprensa, provavelmente não acontecerá da forma como pensamos. Em um primeiro tempo, talvez sim, o jogo não acabou. Sabemos que há estratégias que funcionam, e esta é mais uma delas.

Podem cair o bispo e o cavalo, a torre e os peões, porém o rei continua intacto e a rainha, muda, o protege. Não me causará surpresa se, após eleito o rei, vagarosamente, na surdina, retornarem aqueles que caíram, pelo simples fato de que eles sabem muito mais do que se supõe.

Continuarão protegendo o rei e aguardando o desfecho. As fisionomias poderão mudar, até mesmo o nome do partido, mas os companheiros e os ideais serão os mesmos. Ita est.

Modesta Trindade Theodoro
Professora aposentada
E-mail

4:06 PM  
Anonymous Anônimo said...

Quem será a rainha muda, quem?Quem?

7:48 AM  

Postar um comentário

<< Home