sábado, julho 02, 2005

Escola Municipal Dom Orione mantém e reafirma a necessidade da Reunião Pedagógica!

A EMDO decidiu, hoje, dia 02/07/2005, manter a Reunião Pedagógica, por entender que não há outro mecanismo de se organizar suficientemente os turnos, construído no coletivo, que permita substituir esse espaço. O coletivo da escola entende que esse ainda não é o momento de terminar com a reunião com dispensa de alunos pelos seguintes motivos:

• A Prefeitura, embora alegue estar sendo pressionada a resolver o problema, ainda não apresentou nenhum documento que comprove a discussão da legalidade dessa reunião.

• Se essa legalidade for discutida, a prefeitura deverá prestar conta desse tempo escolar desde o ano de 1996.

• As portarias que têm sido mandadas às escolas com respeito ao problema são contraditórias e desqualificam as imediatamente anteriores. Se a prefeitura pudesse terminar com a reunião, ela já o teria feito e nosso ponto teria sido cortado como o foi nas paralisações e na greve.

• Há uma avaliação negativa do cotidiano das escolas que encerraram a reunião com dispensa de aluno. Se a maioria vai para o buraco, não significa que a EMDO se prestará a fazer o mesmo.

• A EMDO não considera que os turnos devam ser tratados de forma diferenciada no que tange a direitos, como, inexplicavelmente, a prefeitura tem feito, ao decretar a extinção da Reunião Pedagógica no turno noturno (4º Ciclo) já em outubro de 2004, ferindo a autonomia da escola e desrespeitando a organização do coletivo da escola.

• Há um quadro de medidas, sendo implantado, que aponta para a retirada das conquistas dos trabalhadores em educação com conseqüente perda de outros direitos que podem comprometer o ensino regular: diminuição do 1.5 (que já é insuficiente), desmonte dos mecanismos que garantem a autonomia da escola, o fim do CAPE, deslocamento ilegítimo do fórum de negociações da categoria: sindicato, assembléia para o de diretores das escolas. Perder a reunião permitiria que as outras sentinelas caíssem, expondo ainda mais o nosso frágil movimento, que precisa ser retomado com urgência.

• O momento político nada favorável à prefeitura que aponta para um recuo do PT sob pena de ser ainda mais penalizado.

• Manter a reunião com dispensa, no sentido de encorajar outras unidades a fazerem o mesmo e em solidariedade às que estão fazendo, haja visto que, essa resistência permita, ainda que de forma simbólica, levantar o moral e a indignação da categoria, com o fim de dar tempo e fôlego à categoria de se reerguer e reconstruir seu movimento em novas bases.

• E o que o coletivo de professores da EMDO considera mais importante, embora esteja no final dessa lista, o fato de que a extinção da Reunião Pedagógica já ter sido discutida em instâncias mais representativas e legítimas da categoria e da comunidade: Assembléia Geral e a III Conferência Municipal de Educação que, movida pelo bom senso e sem radicalismo, apontaram para a decisão de considerar esse ano um período transitório de negociações, não respeitado por essa prefeitura. Portanto, não cabe à assembléia do coletivo de professores dessa escola, realizada nesse dia, deliberar sobre esse tema.

• A EMDO aponta como solução ponderada de seu coletivo, de se levar ao Seminário que ocorrerá em Agosto, patrocinado pelo sindicato, a discussão do tema e, só então, tomar a decisão de considerar, ou não, o fim da Reunião Pedagógica.

Quero ressaltar que esse texto é apenas um informe, um noticiário de parte do que foi discutido nessa reunião, após a Assembléia Escolar, e não constitui um documento da escola ou que oficialmente represente esse coletivo, mesmo porque, em parte dessa mesma reunião, os professores do turno noturno fizeram uma outra reunião, em separado, para tratar de assuntos específicos do turno. Contudo, ao que pude constatar, o que foi discutido não é diferente do encaminhamento dado na reunião do coletivo principal.

Fico orgulhoso de ser professor de uma escola que tem e quer preservar um coletivo, apesar das dificuldades, e mantém e reafirma seu compromisso ético, dando um exemplo de cidadania e democracia que deveria ser seguido por outras unidades.

Woodson F. C.

3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Muito legal mas outras escolas estâo fazendo o horário pedagógico. Não é só vocês. Assim, vocês poderiam colocar o nome de todas elas. Fica parecendo que são os únicos. É uma coisa muito pretensiosa. Fiquem sabendo que não é assim que as pessoas chamam as outras para participar. E tem mais e é sério. Na escola de vocês os três turnos não fizeram greve. Os alunos da manhã, primeira, segunda, terceira e quarta-série foram todos os dias e todo mundo recebeu. Ainda aproveitaram para fazer o horário pedagógico enquanto os outros fizeram greve. Comecem a convencer por aí, tire as pessoas da moita.

2:51 PM  
Blogger W. F.C. said...

Respeito a sua crítica, mas não tenho essas informações, só procurei dar um informe da reunião de sábado da minha escola. Fiz isso exatamente para que outras escolas que mantêm a reunião pedagógica façam o mesmo. Ao que parece, vc pensa que falo pelo Sindicato, pressupondo que tenho a lista das escolas que estão fazendo a reunião. Quanto às professoras que fizeram a greve, é problema delas, nunca isso havia acontecido na EMDO. Mas não vamos fazer o papel que a Regional e a PBH tem feito, caçar os que pensam e agem diferente. Devemos entender e buscar uma solução para o problema do peleguismo e também do anonimismo. Acho também que quem faz esse tipo de crítica deve se apresentar... Isso e muito mais que nos tem levado à divisão e a desmobilização que estamos enfrentando hoje.

5:45 PM  
Anonymous Maria Marta said...

Woodson:
Tenho acompanhado sua página na Internet todos os dias e fico feliz em perceber pessoas sensatas e coerentes como você atuando entre nós. Sem contar que seu texto é arguto e lúcido, uma delícia de ser lido, até quando rebate críticas.
Tenho aprendido muito com vc.
Um abraço,
Maria Marta.

3:28 PM  

Postar um comentário

<< Home