segunda-feira, junho 27, 2005

Merda no Ventilador e cabo de guerra por um fio! (Clica Aqui)

Nesse texto avalio os meus motivos e refaço alguns equívocos!

5 Comments:

Anonymous Modesta Trindade Theodoro said...

Fiorini
Quando você fala em "criar um banco de professores que substitua os colegas em laudo médico", talvez seja uma boa idéia. Adianto-lhe, porém, se alguém já não o fez, haja vista que você convive com o setor jurídico do sindicato e com professores que entendem das leis da educação municipal, que o correto seria dizer profissionais em desvio de função ou "Readaptação" e não laudo médico. O laudo é o parecer do perito que poderá descambar na "Readaptação" com recomendação, ou na aposentadoria . O profissional readaptado passa a cumprir outra função e sai do 1.5, portanto não prejudica os professores e seus projetos. Profissionais da junta médica o submetem a novos exames semestralmente. O laudo médico conclusivo é feito após dois anos de "Readaptação" funcional (seria interessante consultar o setor responsável ).
Caso o servidor readaptado cumpra outras funções incompatíveis com o seu estado de saúde ele poderá responder processo administrativo disciplinar. Assim, caro colega, se a nova função for trabalhar como auxiliar de secretaria, ou auxiliar de biblioteca é isto que ele deverá fazer. Os professores não perderão em número, mas poderão perder um profissional de qualidade. Em todo o processo o grande perdedor é o readaptado. Não há leis sobre a conservação da jornada, por exemplo. Do dia para a noite a cúpula poderá fazer com que ele cumpra uma jornada de seis horas em cada BM, porém o Sind-UTE está sempre "de olho". Nada de olhar filas de recreio e tomar conta das salas quando os professores precisam comparecer `a latrina, se a recomendação médica não permitir. Ele será o grande prejudicado, mesmo que o pedido parta da chefia imediata. Se não está na sala de aula é porque não pode. "Disciplinar" recreio é dar aulas. Dependendo do caso não é possível tal coisa. Há profissionais que podem exercer o papel de coordenadores. Esse caso é interessante, porque não empata o 1.5. Isto dependerá da recomendação e do coletivo. Assim, não há motivos para que escolas fiquem sem professores por causa da expedição de um laudo.
Sou contra a readaptação, em termos. Quando o readaptado não se sente bem, melhor mesmo é falar com os profissionais da junta que emitiram o parecer. Geralmente isso não é feito, ou porque a pessoa adaptou-se à nova função, ou por causa da questão financeira (esta pega!). O profissional poderá se aposentar após dois anos de licença médica, mas sempre perderá em termos financeiros. Caso haja melhora em seu estado de saúde ele poderá pedir a Reversão (Seção VIII - Lei 7.169/96). Assim, retornará ao cargo de origem caso o processo seja deferido.
Vou tentar evitar misturar alhos com bugalhos. Você escreveu: "... o que me causa ainda mais espécie e me dá nos nervos, é o fato de sermos, ostensivamente, acusados de não sairmos do nosso lugar queixoso." Acaso vocês cobraram professores para o lugar dos profissionais em readaptação? Em sua escola, se não me engano, há duas sindicalistas, além de ser grande e contar com alguns recursos que outras não têm. Talvez fosse até mais fácil. Logicamente, a acusação não procede por ausência de conhecimento do que um professor faz e do quanto ele trabalha e gasta, em espécie, em prol da qualidade. E ainda chegam pessoas para acusar, quando deveriam prestar auxílio.
Quanto ao trecho do seu texto:
" É que a formação que os professores vêm tendo, ultimamente, permite uma abordagem do ensino que não se atém apenas ao letramento ou a alfabetização, já que alunos como o do projeto não respondem mais a essa abordagem. O que é preciso desenvolver, e esse grupo tem potencial para fazê-lo, é aproveitar o espaço de interlocução que as atividades do projeto permitem desenvolver para oferecer desafios que motivem eles a enfrentar melhor suas inerentes dificuldades no campo da escrita, da leitura, do desenvolvimento psicomotor,da compreensão do mundo, das operações,etc."
Observe: - Letramento é " um termo-síntese para resumir as práticas sociais e concepções de leitura e escrita" (Street, B.V. Literacy in Theory and Practice - p.1);
- "O letramento adequado aumenta o controle das pessoas sobre suas vidas e sua capacidade para lidar racionalmente com decisões, porque as torna capazes de identificar, compreender e agir para transformar relações e práticas sociais em que o poder é desigualmente distribuído." ( Lankshear - 1987);
- "...o estudo adequado da experiência histórica de letramento não responde apenas a um interesse pelo passado; ele traz muitos dados relevantes para a análise e a definição de políticas no mundo em que vivemos hoje.";
- "Literacy" (letramento) "é o estado ou condição que assume aquele que aprende a ler e escrever. Implícita nesse conceito está a idéia de que a escrita traz conseqüências sociais, culturais, políticas, econômicas, cognitivas, lingüísticas, quer para o grupo social em que seja introduzida, quer para o indivíduo que aprenda a usá-la." ( Magda Soares/2003).
Para não cansar, lembremo-nos apenas de que há pessoas que " penetram no mundo do letramento sem serem alfabetizadas".
Hoje estou pior do que Louis Althusser, no entanto compare o que é colocado sobre letramento e o trecho do seu texto. Quem serei eu para discordar, se você dissentir desconsiderando semelhanças.
Enfim, espero que, no coletivo, vocês resolvam da melhor forma o problema do projeto e que você faça parte dele, já que o concebeu e por ele tem lutado.
Atenciosamente,
Modesta Trindade Theodoro
BH,28/06/1996

10:52 AM  
Blogger W. F.C. said...

Modesta, não estava me referindo a funcionários em readaptação, mas afastados por questões de saúde. Não há uma política que permita substituir esse professor faltante. O laudo de que falo é aquele expedido pela junta médica, permitindo a falta desse professor. Com pude ver, o termo correto seria "licença médica" para isso, daí a confusão.
Quanto ao letramento, realmente não entendi bem a extensão do que é dito, mas acho que se pode buscar uma forma que não seja nem uma, nem outra coisa, já que esses alunos são deficientes em ambas.

6:35 PM  
Anonymous incomodado said...

Modesta,não sei não más acho que vc saiu do fundo do baú da FAE ( local específico dos paranóicos petistas ). Realidade faz bem para o dia a dia. Obrigado Bob Jefferson,adeus esquerda burra.

7:20 PM  
Anonymous Modesta Trindade Theodoro said...

Hello incomodado Bob Jefferson
Caso você se refira à FaE (Faculdade de Educação)jamais estudei lá, por isso não tenho nada a falar sobre ela. Você certamente não sabe e talvez nem queira saber da minha vida pregressa e atual.
Estudei na UFOP por três anos, morando em república do Estado, passando frio e trabalhando duro! Retornei a BH e continuei os estudos na Faculdade de Letras por seis meses. Desisti no sexto período por falta de verba e tempo para estudar. Depois de três anos fiz novo vestibular e me formei na UEMG.
Sou apartidária e meus autores preferidos são Althusser, Nietzsche, Foucault,Proudhon, Henry Thoreau,Sócrates, além de Fernando Pessoa e seus heterônimos.
Gosto muito do livro "Desobedecendo" de Thoreau.
Você já o leu? Faça-o imediatamente sob pena de se tornar não um "paranóico", mas alguém que sobrevive dos dejetos que Allan Poe deixava ao corvo.
Em tempo: jamais fui petista, pstuista ou qualquer outra coisa parecida, pois sou apenas coisa: apartidária e burra, como tantos outras que vivem por aí. Sinto enorme prazer em não ser morcego, o sangue alheio a mim não pertence.
Obrigada pela crítica, gosto delas. Mas você realmente leu o texto, ou ouviu e se sentiu ofendido com algo inespecífico? Não entendi. Como disse, sou burra, mas comigo não tem esse negócio de baixa auto-estima, tampouco destra, ambidestra ou canhota em matéria de política.
Não me console, deixe isto para o tolstoiano Lechartier. Esta é, talvez, a minha paranóia. É dele a frase: "o verdadeiro fundador da anarquia foi Jesus Cristo...e a primeira sociedade anarquista foi a dos apóstolos." . Tem isto no baú da FaE, meu caro super-homem?! Em certas profissões é necessário muito estudo, até que cheguemos ao seu "adeus". Ciao!!!

6:41 PM  
Anonymous Modesta Trindade Theodoro said...

Em tempo: Na certa Sócrates é autor de muitas questões, mas nada escreveu. Platão o fez por ele.Algo bem dialético e dialógico.

6:48 PM  

Postar um comentário

<< Home