sábado, março 11, 2006

Protesto da servidora de 87 anos contra a PBH

Elza Mattos de Leão - Belo Horizonte -MG
“Ao contrário do que afirma Edilene Martins Viana Ferreira, da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Belo Horizonte, o reajuste de R$ 14,40 não significou aumento de vencimentos, uma vez que os descontos quase superam esse valor. Tenho 87 anos, mas, graças a Deus, ainda consigo me lembrar das quatro operações matemáticas, uma vez que sou senhora do meu próprio raciocínio e lucidez. Realmente, eu optei pelo novo plano de cargos e salários da PBH. Mas devo dizer que foi uma opção no escuro, pois não tive acesso às novas regras estipuladas pela municipalidade. A verdade é que nossa segunda opção seria permanecer no quadro suplementar, o que significaria morrer em total e absoluto abandono. Quanto à legalidade do processo, só posso argumentar que existe uma máquina especializada em fazer do ilegal o legal. Muitos vereadores discordam dessa legalidade. Se mais tempo e recursos me restassem, continuaria lutando contra a injustiça praticada. Porque ninguém conseguirá me convencer de que é justo e legal ser jogada para o nível 1 (de um total de 15), quando me aposentei em nível de fim de carreira. Definitivamente, não há legalidade que justifique tanta desumanidade, tanto descaso e tanta injustiça com uma pessoa que tanto trabalhou e se dedicou com honestidade, integridade e competência à PBH.”

1 Comments:

Blogger Nós professores said...

E na esfera Federal?
Sindicalismo - Falta de união leva aposentados a perdas - Luiz Marques Mendes / Nova Era-MG

“Todos os sindicatos e centrais sindicais deveriam deixar de lado suas diferenças e unir forças em favor do restabelecimento do poder aquisitivo dos salários. O governo Lula assinou a Medida Provisória 248 elevando o salário mínimo de R$ 260 para R$ 300, em 2005, efetivando um reajuste de 15,38%. Mas apenas os aposentados de R$ 300 mensais – e eles são mais de 13 milhões de inativos – receberam o reajuste. Para quem recebe mais de um salário, o reajuste foi de apenas 6,35%. Agora, em abril, o salário mínimo vai para R$ 350, com reajuste de 16,67%. Para quem recebe mais de um salário mínimo, o reajuste será de 5,16%. Vejam a injustiça constante: quem se aposentou em 2005 com proventos de R$ 1,5 mil (correspondente a cinco salários mínimos de R$ 300 cada), os proventos serão de R$ 1.577,40, caindo para quatro salários e fração. Se tivesse reajuste igual ao do salário mínimo (que vai para R$ 350), estaria ganhando R$ 1.750. Com isso está acontecendo o que o PT e Lula reclamavam durante mais de 20 anos: a cada ano, a aposentadoria diminui. É por isso que já não há classe média e os trabalhadores são tratados como mendigos. Quem pode viver um mês com R$ 300? Enquanto isso, os companheiros nomeados e membros do Judiciário, senadores e deputados arbitram seus próprios vencimentos, que vão de R$ 20 mil a até R$ 50 mil, tantos são os penduricalhos que engatam nos salários.”

6:52 AM  

Postar um comentário

<< Home