quinta-feira, dezembro 15, 2005

Pareceres - 15/12/05

Pareceres

Modesta Trindade Theodoro

O Projeto de Lei nº. 787/05 que trata do Plano de Carreira do HOB e também de reajustes, abonos e prêmios para o funcionalismo público municipal, já passou pelas comissões de Legislação e Justiça, de Administração Pública e de Orçamento e Finanças da Câmara de Vereadores. As três opinaram pela aprovação. Os pareceres citam a "forma democrática" como foi gestado e em um dos pareceres encontramos a "aprovação de sindicatos" como ponto crucial. Fiquei estupefata, pois nenhum sindicato que se preze deixaria tantos servidores de fora. O Sind-UTE, por exemplo, não permitiria a designação de 100 (cem) vice-diretores, o prêmio de R$700 (setecentos reais) para professores que participaram de algumas reuniões pedagógicas. Não permitiria, de modo algum, que os inativos ficassem de fora. Um ou outro jornal está dizendo que a Educação receberá 10%. Isto não se encontra no PL787 que será votado, provavelmente, no dia 19 de dezembro.
Ou peca a comissão que citou os sindicatos, ou a outra que ousou escrever "forma democrática”, ou os próprios sindicatos, se for verídica a total concordância colocada. Em momento algum os professores deliberaram em Assembléia sobre tal oferta. Se a categoria fizesse isso, estaria sendo comprada, traindo a comunidade escolar e a si mesma. Estão tratando os professores como os animais das experiências de Pavlov. O correto seria lutar pelo reajuste e não ter que correr atrás de prêmios. Isto é a Educação em BH? Se for, pobres dos estudantes! O que pensarão no futuro?
Até agora estou em busca dessa tal democracia que ouve uns e deixa de fora tantos outros. O Processo Legislativo não poderia ser tratado dessa forma esdrúxula. Urge que a "casa" comece a pensar por si, para o bem da cidade.