domingo, setembro 18, 2005

Farra do PT, eu já sabia !! Marta Suplicy

Farra do PT

Reportagem do jornal O Estado neste domingo revela, com base na íntegra da prestação de contas do PT ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2003, que a farra de gastos patrocinada com recursos do Fundo Partidário - abastecido com dinheiro público - está longe de se limitar às passagens aéreas para parentes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Fazenda, Antonio Palocci.

Um exame atento da documentação mostra que o PT costumava bancar jatinhos particulares para dirigentes partidários e para a então prefeita de São Paulo Marta Suplicy - e pagou pelo menos uma viagem do marido dela, Luis Favre, a Paris (ao custo de R$ 17.700). Além disso, financiou despesas de três dos envolvidos nas investigações das CPI dos Correios e do Mensalão, entre eles José Adalberto Vieira da Silva, preso com US$ 100 mil na cueca.

As notas fiscais, recibos e cheques anexados à prestação de contas do PT em 2003 mostram que o pagamento de aluguéis de jatos executivos com dinheiro do Fundo Partidário era rotina. A maioria das notas não indica quem viajava nas aeronaves, mas algumas discriminam como passageiro o então presidente da sigla, José Genoino.

Viagens misteriosas

Entre as viagens misteriosas, está uma de Brasília a Ribeirão Preto, cidade do ministro Palocci. Se o PT não discriminou quem embarcou no jatinho, a JMSS Representações Aeronáuticas, empresa que emitiu a nota fiscal, foi ainda mais vaga. Não registrou a data da viagem nem o prefixo da aeronave. Só indicou o percurso Brasília Ribeirão Preto/Brasília e o valor de R$ 8.520.

A prestação de contas do PT mostra dois grandes pagamentos à Líder Táxi Aéreo, que realizou a maioria das viagens, em março de 2003. Um de R$ 96 mil e outro de R$ 58 mil. As notas mostram viagens por todo o País. Na prestação de contas de 2004, esses gastos continuaram. O PT declarou ter pago 43 notas fiscais à Líder, que somam cerca de R$ 800 mil.

Partido tenta se defender

Procurada pelo jornal O Estado, a assessoria do PT afirmou que o partido “cumpre rigorosamente as exigências legais na destinação dos recursos do Fundo Partidário. Não há qualquer impedimento legal para custear despesas de interesse partidário com recursos do Fundo”. A assessoria também informou que a viagem de Marta atendeu a uma “agenda partidária”.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

No dia 15 de setembro de 2005, na câmara municipal, depois da chamada prestação de contas do orçamento de BH (PPAG), denunciei publicamente o prefeito Damata Pimentel por ter gasto 15,5 milhões em apenas dois meses deste ano com seu próprio gabinete. Isto já havia sido alvo de denúncias minhas a imprensa, a ouvidoria do PT, a mandatos petistas e da oposição e ao nosso blog.
A resposta de Aloísio Marques, secretário de planejamento de Pimentel e candidato a presidente do PT municipal na tribuna foi no mínimo risível: o prefeito teria gasto esta fortuna em dois meses, viajando para obter recursos externos para investir em BH.
A julgar pela prestação de contas citada no texto (o PT nacional teria gasto com viagens, 800 mil reais em 2004, portanto em um ano), a PBH gasta extremamente mal nosso dinheiro. Mesmo que Pimentel resolvesse ir a Tóquio durante sessenta dias, sem parar, não gastaria todos estes milhões.
Alguém está mentindo descaradamente aqui. Pode até ser que os dois PTs (o nacional e o da PBH) estejam. Alguém arrisca um palpite?
Prof. Geraldinho - noturno - IMACO.

1:49 PM  

Postar um comentário

<< Home