quarta-feira, julho 06, 2005

Base de apoio do prefeito está envergonhada

Base de apoio do prefeito está envergonhada
Li no Estado de Minas de 05/07/05: a base de apoio do prefeito na Câmara está envergonhada. Arnaldo Godoy, Neusa Santos e Carlão, particularmente. Mas não é com nada em BH. É com a situação em Brasília e com as denúncias que continuam vazando por todos os poros do artista Roberto Jéfersom.

Graças a Deus, parece que não há nada para se envergonhar por acá. Senão vejamos: o Diário Oficial do Município, em 28/06/05, anuncia um gasto de 15,5 milhões pelo gabinete de Pimentel. Isto em dois meses.

Despesas de gabinete são do tipo essenciais: viajar em plena greve de professores e servir vinho e castanhas de caju na (re)inauguração da igrejinha da pampulha (que durou um ano e custou 1,8 milhão), por exemplo.

Se a castanha de caju custasse 15 reais o quilo e o vinho 20 reais a garrafa, com 15,5 milhoes, Pimentel poderia literalmente ter se afogado numa piscina de vinho barato ou ficado soterrado (ou socajuzado?) numa avalanche daquela "olinácea" (falei certo?).

Eu posso provar, tolinho: o valor gasto pelo gabinete no bimestre daria para comprar 775 mil garrafas de 700 ml de vinho (542.500 litros de vinho) ou 1 milhão e 33 mil quilos de castanha. Se todos os 2004 ocupantes de cargos de confiança de Pimentel só comessem castanhas e só bebessem vinho público municipal até que teria uma certa lógica....

Poderíamos pensar em fins menos nobres para os recursos públicos (educação, saúde, moradia popular), mas temo ser tachado de radical ou populista...

Voltando a base de apoio do prefeito: eles realmente não têm de que se envergonhar por aqui...Graças a Deus:os salários dos trabalhadores estão uma maravilha; os meninos de rua não existem mais (Célio de Castro acabou com o problema em seis meses); as obras do Orçamento Participativo estão todas realizadas e inauguradas; as escolas estão todas com professores e bem bonitas, com qualidade e materialidade, com espaços esportivos e sem violência; os centros de saúde são referências sanitárias a la Habana; por aqui não existe propina de empreiteiro e nem mensalão; por aqui não se joga dinheiro fora com propaganda. E os vereadores, do mais alto nível de politização e humanismo, ganham pouco e trabalham muito. Quer mais?

Realmente em BH o sol está em todo lugar e é para todos. A sombra? Bom, isto é outra conversa...

Prof. Geraldinho
IMACO - terceiro turno

4 Comments:

Blogger W. F.C. said...

Caro prof. Geraldinho,

Esses seus textos vão virar um livro. Estão uma beleza.
Um abraço e obrigado por nos premiar com suas análises alá "Juan O balde" (hehehe. É que tem a têmpera do Ubaldo, ainda que muito particular.

Um abraço

10:58 PM  
Blogger Nós professores said...

Obrigado, irmão. Um elogio de gente de sua têmpera vale mais que 2004 cargos comissionados.
Um abraço.
Prof. Geraldinho.

2:05 PM  
Anonymous incomodado said...

É isso ai colega, a lama ainda esta por chegar,tens dúvida? Os militantes estão quietos,o MST não faz mais invasões, a mega sena fica com premio acumulado,parece tudo normal,o molusco acuado no planalto.Será que já conformaram com a grande derrota? Estou com foguetes em punho para ver a derruba final,e não vai demorar muito.

2:41 PM  
Anonymous Anônimo said...

Companheiros, a lama já chegou. Até o responsável pela campanha do Jumentel foi citado nesse caso mensalão...agora é só esperar...

11:58 PM  

Postar um comentário

<< Home