sexta-feira, maio 13, 2005

Nós professores e a greve

Prezados Colegas:


Já passou a hora de darmos um basta ao descaso da PBH em relação a nossos direitos e garantias como cidadãos.
Não quero ser repetitivo, em ter que ficar aqui falando sobre a falta de segurança, a possível perda de direitos adquiridos, a perda do poder aquisitivo originado da não correção salarial etc...
Os problemas estão todos aí... Só não enxerga quem não quer .
Em minhas visitas às assembléias da categoria, é que eu fico cada vez mais e apreensivo quanto a algumas falas de colegas que tentam encaminhar a proposta de greve.
Justifico a minha apreensão: De quem é a culpa desta situação?
Alguns dizem: Do sindicato, que não propõe outra forma de luta, outros dizem: Do sindicato, que não aguarda uma proposta de negociação.
O sindicato, por sua vez, diz que a prefeitura nem sequer proposta fez. A prefeitura não está aberta à negociação.
E de quem é a culpa? Ora, com o decorrer dos anos, a categoria não amadureceu! Ela APODRECEU! TODOS NÒS FICAMOS MAIS BURROS.
Para analisarmos o que está ocorrendo, é bem simples: Coloquemos - nos no lugar da PBH - Sim, imagine-se como patrão - Qual seria sua postura?
Agora, coloque - se no lugar dos dirigentes do sindicato - Você tem uma responsabilidade sobre a categoria que representa-Qual seria sua postura?
E finalmente, coloque-se de novo na sua posição - O que você quer diante de todo este quadro? O que você propõe - ou tem feito - para revertê-lo?
Acompanhando este raciocínio, temos que: A prefeitura não é a culpada! ISTO MESMO: A CULPA NÂO È DA PREFEITURA!
Ela está no papel dela de, em princípio, não querer negociar!
Quando tivemos correção salarial, negociação partindo do patrão por livre e espontânea vontade?Pela rede pública, nunca vi nenhuma administração tomar esta iniciativa - Se alguma vez ocorreu, não foi nestes últimos quatorze anos!
Aí você está pensando: Bem, este cara esta culpando o Sindicato pela situação.
O sindicato, o ano passado, quantas vezes tentou fazer uma mobilização real para contornar a situação? Já perdi a conta!
Houve um momento em que tive raiva de uma colega, diante de tanta burrada que falou no microfone: No ano passado,a assembléia estava dividida, então ela pegou o microfone, e - pasmem - chorou! Isto mesmo: Chorou - "pelo amor de Deus, greve não, que eu estou cansada, blá, blá ,blá".
E os colegas, votaram mais com a emoção da pobrezinha que estava chorando que com a razão!
Veja a que ponto chegamos: A pessoa não teve vergonha de chorar em público diante do microfone para pedir pela não greve !
Será que ela não tem vergonha do tanto que ganha? De ser tratada como é pela clientela - alunos/comunidade e pelo patrão?
Será que o salário dela dá até o fim do mês e eu sou o único descompensado que tive que mandar minha doméstica embora?
A culpa senhores, é nossa e do nosso comodismo, que custa cada vez mais caro a nosso bolso e a nossa segurança.
A culpa é de você professor, profissional omisso, que não comparece a assembléia, não se posiciona e mesquinhamente, deixa que poucos colegas lutem por você -.
Tudo bem, se você não quer comparecer aos movimentos: Pelo menos tenha a dignidade de parar e se posicionar ao lado dos colegas, não ao lado do patrão.
Você acaba com a imagem do sindicato, da categoria e não merece ser chamado de professor.
Você, colega, tem todo o direito de ser contra a greve -.
Eu, pessoalmente, não acredito que exista outra forma de luta a não ser greve!
Mas você só tem este direito a nível individual - em nível de categoria, o VERDADEIRO PROFISSIONAL - acata a decisão da maioria em assembléia coletiva!
Agora Você que é contra a greve - Não comparece as assembléias e fura a decisão da categoria, não merece respeito - Você não respeita o coletivo.
E o pior: Nem dignidade própria tem!
É digno de pena apesar de acabar com a categoria!

Pedro Marcos Linardi Filho
Professor da Escola Municipal Dom Orione

4 Comments:

Blogger W. F.C. said...

Estou contigo, Pedro, manda ver!

12:43 PM  
Anonymous Anônimo said...

Gostaria muito de saber a opinião desses colegas pelegos se o aumento que conseguimos tirar à força da PBH em 2001 está pesando de forma desfavorável no bolso deles.
Para aqueles que estão trabalhando e deixando que alguns lutem por eles eu pergunto: é justo poucos arcarem com o ônus de uma greve já que o bônus (quando vem) é para todos?
Cristina Bicalho

8:22 PM  
Anonymous Anônimo said...

Gostaria muito de saber a opinião desses colegas pelgos se o aumento que conseguimos tirar à força da PBH em 2001 está pesando de forma desfavorável no bolso deles. Para aqueles que estão trabalhando e deixando que alguns lutem por eles eu pergunto: é justo poucos arcarem com o ônus de uma greve já que o bônus (quando vem) é para todos?
Cristina Bicalho EMPEP/EMPTP

8:25 PM  
Anonymous Anônimo said...

Não entendi porque saiu escrito anônimo aí no meu comentário, mas de qualquer forma ele está assinado.
à luta, companheiros!
Cris Bicalho

8:27 PM  

Postar um comentário

<< Home