terça-feira, maio 24, 2005

LAMENTO DE PAI DE ALUNO

Qual categoria está, atualmente, fazendo greve no molde dos professores da Prefeitura. Este modelo já acabou.
Sou pai de aluno da ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA ELEONORA PIERUCCETTI, no bairro Cachoeirinha e não mudo meu filho de escola porque não tenho condições de custear uma Colégio particular. Isso não significa que vou brigar por professores que ganham mais do que eu. Na Escola professores fazem reunião pedagógica, dispensando meu filho; tem computador mas os alunos não tem aula de informática; tem biblioteca mas não da para usar direito; tem grosseria com alunos e tem greve. Porque não demitir os professores que não desejam trabalhar e colocar outros no lugar?
Pago imposto e exigo que meu filho tenha uma Escola decente para estudar. Se os professores da EMPEP não estão satisfeitos com o seu salário que sejam coerentes e peçam demissão, de modo a permitir que outros professores possam trabalhar. Meu filho estuda na parte da tarde e agora esta ficando em casa sem estudar; de quem é a responsabilidade?

7 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Caro senhor pai,

Inicio pelo final de seu desabafo (visto não poder encarar de outra forma sua mensagem):

de quem é a responsabilidade? De cada um que vota e não cobra de seus eleitos uma política séria para a educação brasileira e belorizontina; de cada um que culpa os professores mas não se aproxima da escola para colaborar na construção da escola que queremos; de cada um que só lembra da escola quando ela falta (assim como a saúde);

De quem é a responsabilidade?
CREIO QUE DE TODOS NÓS.

Se a escola de seu filho (a EMPEP) não lhe atende, o senhor tem algumas possibilidades: participar, participar ou participar. Como o senhor mesmo disse, se tivesse recursos colocaria seu filho na escola particular. Como não colocou é porque não os tem. Certo? Então vamos qualificar o que temos via PARTICIPAÇÃO.


O Colegiado escolar também é uma forma de intervir. A Conferência de Educação é outra (a propósito, o senhor participou?). O Conselho Municipal de Educação é outra ainda. temos ainda as Associações de pais, as entidades de moradores, os sindicatos etc.

No Brasil temos a cultura de culpar o outro, de escolher um bode expiatório e queimá-lo em praça pública. Isto é fácil. Difícil é se comprometer com a mudança. Ela é lenta e pode demorar anos, décadas e "afinal eu tenho mais o que fazer" (é o que dizem por aí).

Quanto ao salário: Se estamos ganhando mais do que o senhor, realmente é uma lástima: o senhor efetivamente está percebendo péssimo salário (aviltante). Faça como todo trabalhador deve fazer neste caso: se associe, junte-se aos seus companheiros.Mas nunca, nunca faça pouco de quem defende a ESCOLA PÚBLICA DE SEU FILHO, DE NOSSOS FILHOS, A NOSSA ESCOLA.

A propósito: tenho uma filha pequena que ainda não estuda. Com certeza, ela estudará na escola pública. meus sobrinhos também estão (na Escola Municipal Salgado Filho). Nem por isto sou por princípio contra a greve. Converso com eles sobre nossa tarefa de educador (que ultrapassa a sala de aula - é uma tarefa de uma vida, construir uma nova sociedade/nova cidade).

Na escola particular citada pelo senhor, a média salarial é muito maior que na escola pública. E se não há os "riscos" da greve, há outros. É sério. Eu trabalhei lá por muitos anos (saí por opção).

Continuando com o tema salário: só a título de exemplo: um médico da PBH ganha muito mais que nós professores, mas não nos damos o direito de estabelecer comparações. Sabemos que no Brasil o "status" e o preconceito de classe são muito arraigados ainda. Coisas do tipo "ele merece/não merece; trabalha muito/pouco; estudou/não estudou; é importante/ não é", ainda estão muito presentes na realidade brasileira para discutirmos uma divisão de renda séria neste país e a valorização de cada segmento da classe trabalhadora.

Comparamos e citamos somente os 59% de reajuste que o prefeito e o primeiro escalão receberam. É IMORAL, visto eles alegarem que não há recursos para os demais servidores. Para eles 59% e para nós ZERO.
Concluindo:
Sabemos realmente que só a união estratégica de pais, estudantes e trabalhadores pode resgatar a escola pública. O senhor ainda vai entender isto. Seu filho também. Eis a razão de ser do nosso trabalho.


Agradeço a atenção e sua contribuição para o debate. Receba meu respeito embora a divergência de idéias. Poderemos nos conhecer, se for de seu interesse, nos diversos fóruns da Educação Pública Municipal de BH.

Prof. Geraldinho. Terceiro Turno - IMACO.

2:04 PM  
Anonymous Anônimo said...

Sr. Pai,
Na sua lógica simplista de mandar demitir quem não quer trabalhar eu poderia sugerir que o senhor mudasse o seu filho de escola. Mas isso resolveria o problema? Não é dessa forma, desqualificando os professores e a escola de seu filho que chegaremos a algum lugar. Prefiro esclarecer alguns pontos meio obscuros do seu "desabafo". Sou professora do noturno da EMPEP e como qualquer outro professor da RME procuro fazer um trabalho decente e honesto com meus alunos. Brigo por melhores condições de trabalho e salários (por que não?, estamos sempre alertas aos desmandos do poder público em relação à educação. A sua insatisfação em relação à escola já foi relatada nas instâncias apropriadas? O senhor já conversou com a direção da escola? O direito de greve é garantido pela Constituição Federal e sabemos que incomoda muita gente. Não estamos felizes por estarmos em greve. Pelo contrário, participamos ativamente de todas atividades propostas pelo sindicato da nossa categoria, damos nossa "cara a tapa" e em nenhum momento nos escondemos através de correspondências anônimas. Será que na nossa escola só existe coisa ruim? Será que passamos a idéia de que não queremos trabalhar? Infelizmente se isso acontece não estamos fazendo a coisa direito. Não pedimos que o senhor brigue pelo nosso ssalário, pedimos que o senhor esteja ao nosso lado para exigir mais verbas para a educação, atendimento de alunos com dificuldades no extra-turno, mais segurança na escola e no seu entorno. O senhor conhece o tamanho de nossa escola, mas sabe que aquele patrimônio todo é guardado por um porteiro somente? O senhor já teve conhecimento de quantos atos de violência que sofremos sem que o poder público se manifestasse ? Venha conversar conosco.
Cristina Bicalho - EMPEP/EMPTP

9:25 AM  
Anonymous Anônimo said...

A Escola Municipal é de propriedade do povo e não dos professores. Discordo do que a professora falou no comentário anterior.

9:46 AM  
Anonymous Anônimo said...

É engraçado quando algumas pessoas opinam sobre o que é a escola e o que os professores devem ou não fazer. A escola é propriedade do povo mas é também o lugar de trabalho do professor ! Não de um aluno, ou de um pai ! Será que o Sr. Pai trabalha em um lugar em que não tem segurança, há equipamentos quebrados pelos próprios alunos, onde os roubos e vandalismos são uma constante ? E com salários defasados ? Ora, os professores são profissionais, não estão ali como voluntários abnegados. Estão trabalhando, pô! Então por que uma categoria vivendo essa situação e sendo minimamente organizada não pode pleitear melhores condições de trabalho e salariais ? E por fim: se o sr. Pai ganha mal, menos que um professor, por que ele não pede demissão de seu emprego e vai atrás de um que lhe pague melhor, que o possibilite matricular seu filho em uma escola particular ? É tão fácil assim ? Sabemos que não ! Ele mesmo sabe que não é !!!

em tempo: não sou professor, mas sei que nenhum deles está contente em fazer greve !
Guilherme, da comunidade

10:28 AM  
Anonymous Anônimo said...

Estou a procura de outro emprego, quando conseguir peço demissão do atual. Não fico parado porque meu salario não é bom, reclamando. Isto é uma questão de coerência, preciso de trabalhar para sobreviver. Pago impostos e exigo que o Governo garanta a educação do meu filho, sei dos meus direitos. Não vou me intimidar com grosserias !

12:49 PM  
Blogger Nós professores said...

Pau que dá em Chico dá em Francisco: assim como o senhor está esperando um emprego melhor para pedir demissão do anterior, também nós (que não somos tão mais bobos que você afinal). O professor enquanto aguarda o emprego que poderia pagar melhor, luta para que o seu atual emprego, fruto de dedicação, de estudo, de concurso público e portanto legalizado, seja melhor remunerado.

Como o senhor quer que os outros façam o que o senhor mesmo não faz? Ou o senhor pai faz o que exige dos outros ou não tem coerência para criticar. Como o senhor educa seus filhos com tanta incongruência entre a prática e o discurso?

E para finalizar: a propósito de grosseria - a sua mensagem não foi nenhum exemplo de delicadeza e respeito pelo outro, muito antes pelo contrário.

uma professora da rede municipal de BH.

2:39 PM  
Anonymous Anônimo said...

Dirigida ao "Pai Lamentoso" e aos Colegas da EMEP:
Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que a culpa dos problemas que a EMEP enfrenta, é do professorado.
Faltam livros? Deve ser por que os professores não estão comprando os livros para a biblioteca !Eles devem ter desviado o dinheiro para fazer fundo de greve ! Todas as escolas estão fazendo isto agora!hahaha! Tem computadores e não tem aula de informática ! Por que será hein, senhor "sabe tudo "? Vai ver que o professor de informática de lá faz parte do alto escalão e foi para a Finlândia - acompanhando o prefeito -deve ser por isso que o seu filho não tem aula de informática
Quanto ao fato de vc ganhar menos que um professor e não pleitear um salário maior, isto é um problema pessoal seu ! Eu não tenho nada a ver com isso. Mas isto não me obriga a ser tão pequeno e pensar pequeno como vc, não é verdade? Quem manda eu e a categoria querer ser ambiciosa ....
Quanto ao fato de por que não peço demissão, é por que infelizmente me especializei em alfabetizar alunos na 8ª série. Não conseguirei emprego em uma escola cujos os pais e alunos são altamente politizados e defendem realmente uma escola de qualidade para que o filho Aprenda alguma coisa e não porque precisam de um lugar onde deixar o "pentelhinho".
Se quer exigir uma escola de qualidade de verdade para seu filho, vá a associação comunitária de seu bairro,vá aos verdadeiros culpados da situação precária da biblioteca e da aula de informática que vc descreveu ...
Pelo seu texto, dá para perceber que vc está quase descobrindo por onde a qualidade da escola vai por água abaixo ...
Agora me desculpe tá: Não me disponho a conversar com um analfabeto político!
É por pais assim como vc , que o país se encontra como está !
Longe de mim pensar que vc vai lutar por um salário melhor para a categoria, e creia me,penso que a categoria pensa da mesma forma.
Nós, como categoria , não precisamos que outros defendam nossos interesses.
Sabemos nos gerenciar muito bem nesta questão.
Mas por outro lado, soa esquisito um pai pensar que qualidade de ensino equivale simplesmente a "ter aulas"!
A própria greve é uma lição de cidadania que vc poderia estar explicando a seu filho - o que é e por que acontece !
Fica muito difícil, tentar acender uma "luzinha" de raciocínio no breu em que se encontra a sua cabeça !
Mas se vc estiver disposto , vamos lá! Vamos ver se vc fez seu "Dever de Casa".Voce Sabe...
1)Para que servem os tempos pedagógicos?
2)Em que etapa do ciclo seu filho se encontra ?
3) Quais são os parâmetros curriculares relacionados a este ciclo?
4)Quais os critérios utilizados pela escola na avaliação do seu filho?
5) Você acompanha o aprendizado do seu filho ?
6)Ajuda nas tarefas ?
7) Comparece as reuniões a que é convocado para relatório do desempenho /comportamento de seu filho?
8)Cite pelo menos cinco problemas que a escola de seu filho tem vivido, cujo conhecimento chegou a seu ouvido através de seu filho e não da mídia ou deste blog
9)Cite três atitudes, como cidadão "consciente", que o senhor tomou ao saber dos problemas acima (OBS:"Só Falar mal dos professores" não vale
10) Você é cidadão e pai,que vê a escola como um lugar onde seu filho deve aprender coisas novas e adquirir novas habilidades para a vida - (POSICIONAMENTO POLÍTICO, CAPACIDADE DE ANáLISAR e CORRELACIONAR FATOS- são algumas delas)- ou você se julga cidadão só porque paga impostos,e escola de qualidade para seu filho é aquela - que não interessa os problemas que tenha, não me interessa o que os professores querem dizer do meu filho e como ele vai - isto é problema dele- Afinal , o que import a é que tenho um lugar onde deixar o pentelho sem precisar de pagar alguém para tomar conta-e de quebra ele ganha um lanchinho e eu, uma ajuda financeira para umas "biritas" ?
Caso o vc consiga acertar as respostas de pelo menos seis questões acima sem colar - amanhã faço -lhe um desagravo !
PMLF/

11:02 PM  

Postar um comentário

<< Home